Imagem padrão para notícia sintprevs, exibe um fundo branco com o logo do sindicato centralizado ao meio.

Governo descarta elevar reajuste de aposentados

Na reunião entre governo e a Cobap (Confederação dos Aposentados e Pensionistas do Brasil) realizada nesta sexta-feira, a notícia para os aposentados não foi boa: o representante do Executivo, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência Gilberto Carvalho, falou que, dado o momento de crise pelo qual atravessam países na Europa, como a Grécia, “não há como acenar com novos direitos” à categoria, em referência ao reajuste maior pedido pelos aposentados que ganham acima do salário-mínimo, e também em função do desejo de acabar com o fator previdenciário, que corrói o valor a receber do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

“Vamos manter o reajuste da inflação que desde o governo Lula nós asseguramos aos aposentados. Por outro lado, a presidente Dilma Rousseff deixou claro que, havendo uma mudança na conjuntura, se houver um crescimento melhor no segundo semestre, as negociações em torno de um aumento real para as aposentadorias acima de um salário-mínimo poderão ser reabertas”, explicou Carvalho. No encontro, o governo demonstrou que a prioridade do governo é manter o ritmo da economia. Fator que ocorre sobretudo após crescimento de 2,7% do PIB em 2011. Em 2010, a produção de riquezas superou os 7%.

A pauta de reivindicações da classe inclui, além da extinção do fator previdenciário, o reajuste e recuperação do poder de compra dos benefícios dos aposentados e pensionistas que recebem acima de um salário-mínimo (que neste ano viram a renda crescer 6,08%, contra os 14% de reajuste de quem ganha o piso, por conta da política de reajustes).

Também ficou acertado que serão retomadas as discussões do grupo de trabalho técnico das duas partes. Eles aprofundarão o debate a respeito de uma pauta de 15 itens apresentada pelo Sindicato Nacional dos Aposentados.

SECRETARIA VOLTADO AO IDOSO -O governo federal poderá criar uma secretaria para articular as discusões e a implementação de projetos e programas destinados aos idosos, aposentados e pensionistas. A indicação partiu do ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves Filho, e de Carvalho, durante o encontro com as centrais e a Cobap.

A criação da secretaria ainda será submetida à apreciação de outras esferas do governo – especialmente da presidente Dilma Rousseff. O ministro Garibaldi Alves Filho opinou, durante a reunião, que se a nova estrutura for criada, ela irá facilitar e agilizar as negociações entre os aposentados e os diversos órgãos governamentais. “Dentro de dois meses esse grupo voltará a se reunir e tudo indica que vamos ter a possibilidade concreta de anunciar a criação da secretaria nesse período”, afirmou Garibaldi.

Fonte: Vinicius Gorczeski do Diário do Grande ABC

Comentários


  • Os direitos dos aposentados que ganham acima do minimo, não são novos e sim antigos e legitimos. isso é covardia com quem reamente contribuio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*