Imagem padrão para notícia sintprevs, exibe um fundo branco com o logo do sindicato centralizado ao meio.

Falácia sobre o financiamento da Previdência dos Servidores Públicos Civis

A vice-presidente do Sindilegis, Lucieni Pereira, faz uma análise sobre os impactos da Previdência Complementar dos Servidores Públicos. Para ela, estão em jogo a organização do Estado brasileiro e a estabilidade macroeconômica.

O Governo pretende reduzir a participação da União na condição de ente patrocinador da seguridade de seus servidores, dos atuais R$ 5.879,08 para R$ 2.572,08 no máximo (no caso de subsídio do ministro do STF que recebe o valor do “teto”).

Alega, para tanto, um conceito próprio de “equidade” entre trabalhadores do setor privado e servidores públicos. Será que o Governo Federal aceitaria se as empresas privadas, ao instituírem previdência complementar para seus trabalhadores, reduzissem as contribuições patronais recolhidas ao INSS de até R$ 9.353,10 para R$ 861,56, como a União pretende fazer com o regime próprio dos servidores públicos civis federais?

O argumento para criar a Funpresp abre caminho para as empresas privadas pleitearem o mesmo tratamento, afinal o Governo alega “equidade” entre trabalhadores do setor privado e servidores públicos. Para justificar essa redução da contribuição patronal, os representantes do Governo apostam em taxas de juros extraordinárias no mercado financeiro. Mas economistas e especialistas em mercado financeiro contestam a visão otimista do Palácio do Planalto e afirmam ser extremamente temerário apostar em taxas de juros reais no futuro em níveis superiores a 3%.

Em jogo estão a organização do Estado brasileiro e a estabilidade macroeconômica.

Clique aqui e leia o artigo na íntegra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*